abiquiflashes (22/06/2015 – 389)

  • Argentina (1): embora também produtora de heparina, este país do Mercosul importou do Brasil em 2015, até maio, 563 kg de heparina ao preço médio de US$ 2.662,49/kg.
  • Argentina (2): US$ 3.412.755,00 de ésteres e sais de lisina, importante aminoácido para a nutrição humana, foram exportados para este país austral nos primeiros cinco meses de 2015.
  • Argentina (3): o mercado portenho é favorável às preparações químicas contraceptivas produzidas no Brasil. Tanto assim quem em 2015, até maio, o País exportou àquele destino US$ 3.951.424,00 destas preparações.

abiquiflashes (18/06/2015 – 388)

  • Celulose microcristalina: este adjuvante farmacotécnico é de fundamental importância na produção de comprimidos pela indústria farmacêutica. Até maio de 2015, o Brasil exportou a expressiva soma de US$ 7.878.514,00 deste excipiente.
  • virginiamicina: US$ 11,9 milhões deste antibiótico foram enviados ao exterior nos primeiros cinco meses de 2015, particularmente para o Canadá. Ele é amplamente usado como antibacteriano e promotor do crescimento em veterinária.
  • Cefalosporinas: o Brasil é importante produtor de alguns antibióticos desta classe terapêutica muito usada internacionalmente. US$ 3.575.570,00 foram exportados em 2015, até maio. É uma excelente contribuição à nossa pauta de exportações.

abiquiflashes (15/06/2015 – 387)

  • heparina: extraída da mucosa intestinal bovina e suína, este destacado anticoagulante na terapia diária é um dos destaques das exportações brasileiras de farmoquímicos. Em 2015, até maio, foram enviados ao exterior US$ 9.392.297,00 deste produto.
  • Contraceptivos: preparações químicas contraceptivas produzidas no Brasil (NCM 3006.60.00) têm excelente aceitação no exterior. Nos primeiros cinco meses de 2015 o Brasil exportou US$ 23,3 milhões destas preparações para vários países.
  • sulfato de condroitina: US$ 2.959.490,00 deste farmoquímico foram exportados em 2015, até maio. Este produto é extraído de cartilagens de aves, bovinos e suínos e é importante no tratamento da artrose.

abiquiflashes (11/06/2015 – 386)

  • Canadá: este país do NAFTA é o principal destino das exportações brasileiras do antibiótico virginiamicina. Este antibiótico (NCM 2941.90.83) é usado como antibacteriano e promotor do crescimento em veterinária. US$ 10.045.166,00 foram exportados em 2015, até abril, para aquele destino.
  • www.abiquifi.org.br (1): visite regularmente o Portal da abiquifi. Você encontrará nele, sempre atualizado, várias informações relativas às exportações brasileiras da cadeia produtiva farmacêutica.
  • www.abiquifi.org.br (2): neste Portal podemos destacar “clipping”, coletânea de informações diárias focadas, apenas, nos setores farmoquímico e farmacêutico brasileiros. Mantenha-se informado!

abiquiflashes (08/06/2015 – 385)

  • Cefalosporinas: O Brasil não é um importante produtor de antibióticos. Contudo, em 2015, até abril, foram enviados ao exterior US$ 3.316.803,00 de cefalosporinas, particularmente para os EUA.
  • Medicamentos (1): o medicamento mais exportado pelo Brasil continua sendo o produzido à base de insulina, que é enviado a várias partes do mundo. Nos primeiros quatro meses de 2015, foram exportados US$ 76.959.824,00 cujo destino principal foi a Dinamarca.
  • Medicamentos (2): outro segmento importante da exportação brasileira de medicamentos é composto por produto à base de antibióticos. Destes, em 2015, até abril, foram exportados US$ 25.200.236,00.

abiquiflashes (01/06/2015 – 384)

  • Ácidos biliares: classificados na posição NCM 2918.19.29, estes ácidos representam uma forte contribuição para as exportações brasileiras de produtos manufaturados. Realmente, em 2015, até abril, estas exportações alcançaram US$ 16.292.921,00, particularmente destinadas à Itália.
  • ácido salicílico: além da sua ação queratolítica na terapia humana, este ácido é um importante intermediário na produção do ácido acetilsalicílico (aspirina) que é produzida por um processo de acetilação. O Brasil exportou, nos primeiros quatro meses de 2015, US$ 3.106.727,00 deste ácido.
  • virginiamicina: este antibiótico amplamente usado como antibacteriano e promotor do crescimento em animais é exportado pelo Brasil, particularmente para o Canadá: no acumulado em 2015, até abril, estas exportações alcançaram US$ 10.694.114,00.

abiquiflashes (28/05/2015 – 383)

  • Excipiente:  um dos principais excipientes utilizados pela indústria farmacêutica mundial na produção de comprimidos é a celulose microcristalina. O Brasil é um dos principais produtores mundiais deste adjuvante farmacotécnico e exportou, deste produto, US$ 6,4 milhões em 2015, até abril.
  • sulfato de condroitina: extraído de cartilagens de aves, bovinos e suínos este farmoquimico é usado, amplamente, no tratamento da osteoartrite. O Brasil exportou até abril de 2015 a importante cifra de US$ 2,1 milhões deste antiartrítico.
  • heparina: extraída da mucosa intestinal de bovinos e suínos a heparina é um dos mais importantes anticoagulantes usados no mercado mundial. Embora aquém das suas possibilidades, o Brasil exportou em 2015, até abril, US$ 7,4 milhões deste produto biológico.

abiquiflashes (25/05/2015 – 382)

  • Plantas (1): a rutina é um farmoquímico extraído de plantas cultivadas no nordeste brasileiro e que é usada no tratamento da fragilidade capilar venosa. Em 2015, até abril, o Brasil enviou ao exterior US$ 1,5 milhão deste farmoquímico.
  • Plantas (2): a pilocarpina é um farmoquimico extraído da planta jaborandi, cultivada no nordeste brasileiro. Usada como agente antiglaucoma, entre outros atributos, a pilocarpina, seu cloridrato e o seu nitrato contribuíram com US$ 1,2 milhão para as exportações brasileiras em 2015, até abril.
  • Plantas (3): a quercetina é um protetor capilar venoso extraído de plantas cultivadas, também, no nordeste brasileiro. US$ 900 mil deste farmoquimico foram enviados ao exterior nos primeiros quatro meses de 2015.

abiquiflashes (21/05/2015 – 381)

  • EUA: US$ 31,4 milhões foi o montante exportado pelo Brasil aos EUA em medicamentos durante os primeiros quatro meses de 2015, o que mostra que temos vários produtos já com a aprovação da agência FDA dos EUA.
  • India: os medicamentos à base de insulina fabricados no Brasil têm ampla aceitação no mercado indiano. Em 2015, até abril, foram enviados àquele país asiático US$ 3.165.398,00 deste tipo de medicamento.
  • Dinamarca: este país nórdico é o maior destino das nossas exportações de medicamentos à base de insulina. Nos primeiros quatro meses de 2015 foram enviados àquele destino US$ 58,8 milhões deste produto antidiabético.

abiquiflashes (18/05/2015 – 380)

  • África do Sul: este país africano importou do Brasil em 2015, até abril, US$ 2.510.712,00 em medicamentos à base de insulina (NCM 3004.31.00).
  • Angola: o Brasil exportou para Angola em 2015, até abril, a modesta soma de US$ 223.027,00 em medicamentos de vários tipos, o que mostra a possibilidade de aumentarmos o fluxo de exportações para aquele país africano.
  • Moçambique: também foi modesta a exportação brasileira de medicamentos para Moçambique em 2015, até abril, já que apenas US$ 193.056,00 foram enviados àquele país.