Farmacêutica Biotoscana planeja IPO de R$ 850 milhões

Carolina Mandl e Rodrigo Rocha – Valor Econômico: 

Controlado pela gestora de fundos de private equity Advent International, a fabricante e distribuidora de medicamentos de alta complexidade Biotoscana deu a largada ontem ao processo de abertura de capital na bolsa de valores. A companhia pretende listar recibos de ações (BDRs) na B3 (ex­-BM&FBovespa).

A transação deve movimentar cerca de R$ 850 milhões, segundo o Valor apurou com duas fontes a par da transação. Procuradas pela reportagem, a Biotoscana e a Advent não comentaram o assunto.

Cerca de 60% desses recursos vão para os acionistas da Biotoscana, vendedores de uma parcela das ações que detém. Além da Advent, a empresa americana de investimentos na área de saúde Essex Woodlands, além de Robert Friedlander e Roberto Luiz Guttman, ambos da United Medical, uma das companhias controladas da Biostocana, vão vender papéis.

A companhia pretende utilizar o restante dos recursos da oferta na redução do endividamento com o Bancolombia e no resgate de certificados de ações preferenciais, emitidos em 2015.

A oferta tem como coordenadores os bancos BTG Pactual, Itaú BBA e J.P. Morgan.

A companhia, que tem operações em dez países da América Latina e sede fiscal em Luxemburgo, começou a ser criada pela Advent International em 2011, quando a gestora comprou uma fabricante de remédios de alta complexidade na Colômbia, chamada Biotoscana. Depois disso, outras duas aquisições foram feitas: em 2014, a empresa comprou a fabricante brasileira de medicamentos United Medical, e, em 2015, a distribuidora de remédios argentina LKM.

O modelo de negócios da Biotoscana é voltado para áreas terapêuticas especiais, que abrangem doenças infecciosas, raras, oncologia e oncohematologia, tratamentos especiais, imunologia e inflamações. A venda é voltada a canais privados, como hospitais e clínicas.

Altamente especializada, a Biotoscana está em um nicho de mercado bastante diferente daquele criado por outra farmacêutica também listada na bolsa de valores, a Hypermarcas, que é voltada para remédios sem prescrição médica, como Benegrip, Epocler e Atroveran.

A Biotoscana opera duas unidades de fabricação na Argentina, em Buenos Aires, com outra em construção e, detém, opera ou terceiriza centros de distribuição em todos os países onde tem atua. A sede administrativa do grupo fica em Montevidéu.

Até o fim do ano passado, o portfólio da farmacêutica na América Latina contava com 200 produtos. No Brasil, eram sete medicamentos registrados.

Em 2016, a companhia registrou receita de R$ 794,5 milhões, alta de 42% ante 2015, e lucro líquido de R$ 47,2 milhões, revertendo perda de R$ 12,1 milhões. Principal mercado, o Brasil foi responsável por 43% da receita. É aqui que está a United Health, empresa farmacêutica comprada pela Biotoscana em 2014.

Ainda de acordo com o prospecto preliminar divulgado ontem, os recibos de ações serão lastreados em papéis negociados no segmento Euro MTF da bolsa de Luxemburgo. (Colaborou Stella Fontes)