abiquiflashes 001

  • Março (1): a cadeia produtiva farmacêutica brasileira encerrou o  primeiro trimestre de 2018 exportando US$ 336,5  milhões. Este resultado representa uma redução de 17,3% sobre as exportações do mesmo período de 2017 , que totalizaram US$ 394,9 milhões.
  • Março (2): as exportações de medicamentos produzidos no Brasil e enviados para várias partes do mundo, alcançaram até março de 2018 US$ 199,2 milhões, número este 16,1% inferior ao número de 2017 para o mesmo período (US$ 231,2 milhões).
  • Março (3): já os insumos farmacêuticos aqui produzidos contribuíram com US$ 137,3 milhões, sendo US$ 109,8 milhões em farmoquimicos e US$ 27,5 milhões em excipientes. No total de insumos farmacêuticos (ativos e não ativos) os números do primeiro trimestre de 2018 foram inferiores em 19,2% aos números do mesmo período de 2017.

abiquiflashes (09/04/2018 – 651)

  • Alemanha: este país europeu é destino certo para as exportações brasileiras de ésteres e sais do aminoácido lisina, importante na manutenção do corpo humano. Em 2018, até fevereiro, o Brasil enviou àquele país US$ 2.863.027,00 destes produtos.
  • Espanha: a heparina (inclusive o complexo heparínico) tem neste país ibérico um excelente mercado para as produções brasileiras. US$ 2.415.576,00 foram destinados àquele país nos primeiros dois meses de 2018.
  • Argentina: naturalmente a Argentina, por fazer parte do Mercosul, é um destino normal para as exportações brasileiras de medicamentos (NCM 3004). Até fevereiro de 2018, foram enviados àquele país austral US$ 10,8 milhões destes produtos.

abiquiflashes (05/04/2018 – 650)

  • Nafta: este mercado do norte recebe, regularmente, quantidades expressivas de medicamentos (NCM 3004) produzidos no Brasil. Em 2018, até fevereiro, foram exportados US$ 35,1 milhões para aquele destino.
  • União Europeia (1): o velho mundo é destino certo para as exportações brasileiras de ácidos biliares (NCM 2918.19.29), principalmente a Itália. Nos dois (02) primeiros meses de 2018 aquele bloco econômico recebeu US$ 4.652.644,00 destes ácidos.
  • União Europeia (2): liderado pelos medicamentos à base de insulina, o Mercado Comum da Europa é um dos principais destinos das exportações de medicamentos produzidos no Brasil. US$ 33,4 milhões destes produtos foram exportados para aquele bloco nos dois (02) primeiros meses de 2018.

abiquiflashes (02/04/2018 – 649)

  • Mercosul (1): o Mercado Comum do Sul é um destino regular para a exportação de vacinas para uso veterinário. Em 2018, até fevereiro o Brasil exportou para este bloco econômico US$ 1.255.154,00 destas vacinas.
  • Mercosul (2): os medicamentos produzidos  no Brasil (NCM 3004) naturalmente têm no Mercosul um mercado promissor. Nos primeiros dois (02) meses de 2018 foram enviados US$ 15,4 milhões para este destino.
  • Nafta: a virginiamicina é um antibiótico usado em veterinária, produzido no Brasil e exportado regularmente para o Nafta (particularmente para o Canadá). Até fevereiro de 2018 o Brasil enviou US$ 5.309.254,00 para aquele mercado do norte.

abiquiflashes (29/03/2018 – 648)

  • Celulose microcristalina: este excipiente é da mais alta importância dentro da indústria farmacêutica mundial, particularmente na produção de comprimidos. Em 2018, até fevereiro, foram exportados US$ 3,1 milhões deste adjuvante farmacotécnico.
  • ácido salicílico: o ácido salicílico, além da sua ação queratolítica é o mais importante intermediário na produção da aspirina. US$ 1.267.287,00 deste ácido foram enviados ao exterior até fevereiro de 2018.
  • arginina: este aminoácido essencial é importante no desenvolvimento do corpo humano. Produzido no Brasil, a sua exportação alcançou em 2018, até fevereiro, a destacada soma de US$ 2.325.384,00.

abiquiflashes (26/03/2018 – 647)

  • ácidos biliares: estes ácidos com ação colerética e colagoga são importantes na exportação brasileira de farmoquimicos (NCM 2918.19.29). Em 2018, até fevereiro, foram enviados ao exterior US$ 9,0 milhões destes ácidos.
  • Contraceptivos: as preparações químicas contraceptivas produzidas no Brasil têm bom  mercado nos países da América Latina. Até fevereiro de 2018 foram exportados US$ 2.656.545,00 destes produtos.
  • pilocarpina: a pilocarpina é um alcaloide usado no tratamento do glaucoma. Sob a forma de cloridrato e nitrato foram enviados ao exterior em 2018, até fevereiro, US$ 1.728.348,00 deste alcaloide.

abiquiflashes (22/03/2018 – 646)

  • Medicamentos: o medicamento mais exportado pelo Brasil continua sendo o elaborado à base de insulina. Em 2018, até fevereiro, foram enviados ao exterior US$ 34,7 milhões deste produto, para várias partes do mundo.
  • heparina: embora ainda com o preço médio muito baixo (US$ 465,00/kg), as exportações deste anticoagulante alcançaram em 2018, até fevereiro, US$ 4.946.693,00, promissora contribuição para as exportações brasileiras de manufaturados.
  • lisina: até fevereiro de 2018 os ésteres e sais da lisina foram o principal item das exportações brasileiras de farmoquimicos (NCM 2922.41.90). Estas exportações alcançaram neste período US$ 15,9 milhões.

abiquiflashes (19/03/2018 – 645)

  • Fevereiro (1): o ano de 2018 começou com a cadeia produtiva farmacêutica brasileira exportando 245,7 milhões de dólares até o mês de fevereiro.
  • Fevereiro (2): as exportações de medicamentos contribuíram com US$ 129,8 milhões do total da cadeia, representando 52,8% das exportações da mesma até fevereiro/18.
  • Fevereiro (3): os insumos farmacêuticos (ativos e não ativos), por sua vez, entraram com US$ 115,9 milhões, ou sejam 47,2%. Vale registrar que este valor é superior em 11,5% ao exportado de insumos o mesmo período do ano passado (fevereiro de 2016).

abiquiflashes (15/03/2018 – 644)

  • Espanha: este país europeu é um destino regular para as nossas exportações de heparina (em suas várias formas). Em 2017 foram exportados para aquele país ibérico 65.298 kg de heparina por US$ 15,4 milhões, ao preço médio de US$ 235,26/kg.
  • Mercosul-5: as vacinas para uso veterinário, particularmente a vacina contra febre aftosa, fabricada no Brasil, têm excelente mercado nos países da América Latina. US$ 8.079.261,00 deste tipo de vacina foram enviados em 2017 para este mercado comum do sul.
  • Argentina: a heparina produzida no Brasil, extraída da mucosa intestinal bovina e suína tem mercado neste país do sul. Em 2017 foram exportados para a Argentina US$ 2.060.100,00 deste poderoso anticoagulante.

abiquiflashes (12/03/2018 – 643)

  • União Europeia: as exportações brasileiras de medicamentos (NCM 3004) produzidos no Brasil para países da União Europeia são altamente representativas, especialmente para a Dinamarca. Em 2017 foram enviados a este bloco econômico europeu US$ 230,3 milhões em medicamentos.
  • Nafta: da mesma forma o mercado comum do Norte é um importante destino das exportações brasileiras de medicamentos (NCM 3004). US$ 206,4 milhões destes produtos foram exportados em 2017 para este bloco econômico.
  • Colômbia: o mercado colombiano de medicamentos (NCM 3004) é promissor para as exportações brasileiras deste segmento. Em 2017 foram enviados para este país andino US$ 49,4 milhões em medicamentos aqui produzidos.