abiquiflashes (22/06/2017 – 577)

  • Medicamentos: as exportações brasileiras de medicamentos alcançaram US$ 395,8 milhões em 2017, até maio. Elas representam um aumento de 6,8% sobre o mesmo período de 2016.
  • Farmoquimicos: US$ 238,2 milhões foi o montante enviado ao exterior em farmoquimicos nos cinco (05) primeiros meses de 2017. No mesmo período de 2016 este valor estava em US$ 204,3 milhões, portanto em 2017 houve um aumento de 16,5% nas exportações.
  • Excipientes: em 2017, até maio, as exportações de adjuvantes farmacotécnicos atingiram US$ 57,7 milhões, com um incremento de 18,7% sobre o mesmo período do ano passado, quando foram exportados US$ 48,6 milhões destes produtos.

abiquiflashes (19/06/2017 – 576)

  • sulfato de condroitina: este farmoquímico amplamente usado no tratamento de artroses é extraído de cartilagens de aves, bovinos e suínos. US$ 1.925.673,00 deste produto foram exportados pelo País em 2017, até o mês de maio.
  • heparina: o Brasil exporta este potente anticoagulante em três formas: complexo heparínico (intermediário), heparina crua e heparina purificada. Nos cinco primeiros meses de 2017 foram exportados US$ 13.142.211,00 em heparina para várias partes do mundo.
  • Ácidos biliares: estes ácidos, com ação colerética e colagoga, são exportados pelo código NCM 2918.16.90, particularmente para a Itália. Em 2017, até maio, o Brasil enviou ao exterior US$ 28,0 milhões destes ácidos.

abiquiflashes (12/06/2017 – 575)

  • Contraceptivos: as preparações químicas contraceptivas representam um destacado item na pauta das exportações brasileiras de produtos manufaturados. Em 2017, até abril, foram enviados ao exterior US$ 6,8 milhões destas preparações.
  • Colômbia: este país andino é um mercado promissor para os medicamentos produzidos no Brasil. Nos primeiros quatro meses de 2017 foram enviados àquele país US$ 17,4 milhões em medicamentos.
  • Argentina: já este país austral é um tradicional destino das exportações brasileiras de medicamentos. Em 2017, até abril foram destinados à Argentina US$ 38,2 milhões em medicamentos dos mais variados tipos.

abiquiflashes (08/06/2017 – 574)

  • China: embora produtor de heparina este país asiático tem importado a heparina brasileira nestes últimos meses. Em 2017, até abril estas exportações para a China alcançaram US$ 2.392.000,00.
  • Canadá: este país membro do Nafta é o principal importador da virginiamicina produzida no Brasil. Nos primeiros quatro meses de 2017 foram enviados àquele país US$ 16,1 milhões em virginiamicina.
  • Espanha: as exportações brasileiras do complexo de heparina (fase inicial da produção de heparina) se dirigem basicamente a este país ibérico. A ele foram destinados US$ 4.997.879,00 em 2017, até abril, deste intermediário.

abiquiflashes (05/06/2017 – 573)

  • Aminoácidos: estas estruturas químicas representam a expressão mais simples das proteínas. O Brasil é um importante produtor mundial de aminoácidos e as suas exportações em 2017, até abril, atingiram US$ 44,8 milhões.
  • lisina: dentro das exportações acima descritas, destaca-se a exportação da lisina, seus sais e ésteres (NCM 2922.41.10) com US$ 22,6 milhões.
  • rutina: a rutina é um alcaloide extraído de plantas cultivadas no nordeste brasileiro (Maranhão e Piauí). Nos primeiros quatro meses de 2017 o Brasil exportou US$ 475.211,00 deste farmoquímico.

abiquiflashes (01/06/2017 – 572)

  • sulfato de condroitina: usado amplamente no tratamento de artroses, este farmoquímico é extraído de cartilagens de aves, bovinos e suínos. Em 2017, até abril, foram enviados ao exterior US$ 1.786.014,00 deste produto.
  • ácido glutâmico: este é um aminoácido destacado no crescimento e manutenção do corpo humano. Nos primeiros quatro meses de 2017 o Brasil exportou US$ 10,3 milhões deste farmoquímico.
  • Cefalosporinas: esta é uma classe muito especial de antibióticos. O Brasil produz alguns deles e as suas exportações em 2017, até abril alcançaram US$ 3.407.247,00.

abiquiflashes (29/05/2017 – 571)

  • Plantas: a pilocarpina é um alcaloide extraído de plantas cultivadas no nordeste brasileiro (Maranhão e Piauí). É usado no tratamento do glaucoma. Em 2017, até abril foram exportados US$ 5.188.313,00 deste alcaloide.
  • Vacinas (1): as vacinas para uso veterinário produzidas no Brasil têm um bom mercado na América Latina, particularmente a vacina contra a aftosa. Em 2017, até abril foram exportados US$ 11.398.980,00 destes produtos biológicos.
  • Vacinas (2): quanto às vacinas para uso humano as exportações brasileiras até abril de 2017 alcançaram a soma de US$ 6.526.246,00.

abiquiflashes (25/05/2017 – 570)

  • ácidos biliares: classificados no código NCM 2918.19.29 este produto colerético e colagogo é um dos principais itens das nossas exportações. Dirigidos principalmente para a Itália, o Brasil exportou US$ 20,8 milhões destes produtos no primeiro quadrimestre de 2017.
  • virginiamicina: usado em veterinária como antibacteriano e promotor do crescimento, este antibiótico contribuiu com US$ 17,3 milhões para as exportações brasileiras em 2017, até abril. O principal destino foi o Canadá.
  • celulose  microfina: o Brasil é um importante produtor deste excipiente usado pela indústria farmacêutica na produção de comprimidos. Nos primeiros quatro meses de 2017 foram exportados US$ 7,8 milhões deste adjuvante farmacotécnico.

abiquiflashes (22/05/2017 – 569)

  • Farmoquímicos: esta classe de insumos farmacêuticos contribui, regularmente, para o desempenho das exportações brasileiras. Em 2017, até abril, foram enviados a vários países US$ 183,5 milhões destes insumos farmacêuticos ativos (IFAs).
  • heparina: importante protagonista da terapêutica mundial, este anticoagulante é produzido no Brasil em suas três fases – complexo heparínico, heparina crua e heparina purificada. Nos primeiros quatro meses de 2017 o Brasil exportou US$ 10,6 milhões destas três fases de heparina ao preço médio de US$ 437,3 /kg.
  • ácido salicílicoqueratolítico e intermediário na produção da aspirina, as exportações deste ácido renderam ao Brasil US$ 3.522.462,00 em 2017, até o mês de abril.

abiquiflashes (18/05/2017 – 568)

  • Cadeia produtiva: a cadeia produtiva farmacêutica brasileira exportou no primeiro quadrimestre de 2017 a expressiva soma de US$ 529,4 milhões, atestando, desta forma, a excelência das suas produções.
  • Medicamentos: a indústria brasileira de medicamentos é uma das principais do mundo. Sua exportação em 2017, até abril, representou US$ 306,1 milhões, aporte importante ao esforço exportador brasileiro.
  • Excipientes: as exportações destes adjuvantes farmacotécnicos, fazem parte da nossa pauta de exportações. Nos primeiros quatro meses de 2017 foram enviados ao exterior US$ 39,8 milhões desta classe de produtos.